Página inicial

Notícia > Brasil

  • 15.08.2014 - 11:13

    Renata: "Eduardo comemorou a entrevista como um gol"

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

     Do Blog do Magno Martins - Conversei, ontem, com a viúva Renata Campos, tão logo sai dos estúdios do Frente a Frente, programa especial em homenagem ao ex-governador Eduardo Campos, que morreu na queda do avião que o conduzia para Santos, na quarta-feira pela manhã.

     
    Pude constatar o que muitos amigos e aliados de Eduardo já diziam ao longo do dia que passei em frente à sua casa entrevistando políticos que a visitavam: a sua fortaleza inabalável.
    Mulher forte e guerreira, Renata estava serena e firme, conversando tranquilamente com todos que a abraçavam para dividir o sentimento da dor.
    Em cada papo, relembrava os momentos alegres com o marido, suas brincadeiras, seu lado divertido e bem humorado. Eduardo era um homem feliz, de bem com a vida.
    Segundo Renata, na noite anterior à tragédia ele estava extremamente feliz por ter ocupado 15 minutos na telinha do Jornal Nacional numa entrevista para William Bonner e Patrícia Poeta.
    'Fui lá e fiz o gol”, repetia Eduardo, de acordo com Renata, para todos aqueles que passaram a ligar cumprimentando-o pelo seu desempenho na entrevista.
    Antes mesmo de entrar para os estúdios da TV-Globo, no Rio, Eduardo já esbanjava muito bom humor no cafezinho na sala de espera ao lado de Bonner e Patrícia Poeta.
    “Meu marido era uma alegria irradiante e contagiante, você sabe disso, porque conviveu com ele por muito tempo”, disse.
    Renata jantou com Eduardo, após a entrevista, no hotel em que estavam hospedados no Rio de Janeiro e pela manhã se separaram. O ex-governador seguiu no jatinho da fatalidade para Santos.
    Ela, regressou ao Recife em companhia do caçula Miguel e só veio saber que havia perdido seu velho companheiro e o Brasil um líder em ascensão quando já estava em casa, no bairro de Dois Irmãos.
    Apesar da dor, Renata vem resistindo com muita bravura, assim como seus cinco filhos e a nora, a ministra Ana Arraes, do Tribunal de Contas da União, que estava ontem ao seu lado o tempo todo.
    Lá encontrei, também, todos os filhos do ex-governador Miguel Arraes, tios de Eduardo, entre eles Guel Arraes, que travalha na Globo e reside no Rio, bastante abatido.
    Antônio Campos, irmão de Eduardo, passou boa parte do tempo abraçado à mãe, circulou entre os amigos, contou os últimos momentos que viveu com o mano, um deles a sua festa de 49 anos, naquela mesma casa, quando, segundo Antônio, manifestava uma certeza inabalável de que iria para o segundo turno e ganharia a eleição.
    Durante o seu aniversário, comemorado reservadamente em família, Eduardo se emocionou e chorou bastante quando seus filhos apresentaram o vídeo que varre as redes sociais, manifestando o grande amor pelo pai. Era uma homenagem não apenas ao aniversário mas também ao Dia dos Pais.
    Mas Eduardo não sabia que seria a última homenagem da família que tanto amou e preservou, revelando o seu lado de paizão, uma das suas facetas mais admiradas pelos seus fãs.
    (Escrito por Magno Martins)