Página inicial

Notícia > Política

  • 27.06.2020 - 10:20

    Vitalzinho sai dos holofotes da Lava Jato para fazer cobrança ao governo federal

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    Talvez sentido o ‘cheirinho da impunidade’ lá na frente, o ministro paraibano do Tribunal de Contas da União (TCU), Vital do Rego Filho, que até bem pouco tempo era destaque na mídia como acusado de prática ilícitas em fases da Operação Lava Jato, reapareceu na imprensa, desta vez para acusar o presidente Jair Bolsonaro de “falta de transparência com gastos relacionados à crise do novo coronavírus”.

    O ministro afirma que a auditoria na atuação do comitê de enfrentamento da crise "não identificou a definição de diretrizes estratégicas capazes de estabelecer objetivos a serem perseguidos por todos os entes e atores envolvidos".

    Com base no relatório de Vitalzinho, o TCU determinou ainda que a Casa Civil passe a divulgar no prazo de quinze dias na internet as atas das reuniões do Comitê de Crise e do CCOP.

    Ao comentar o processo, o ministro Bruno Dantas destacou a falta de coordenação entre o presidente da República e os governadores.

    É bem provável que Vital Filho e demais membros da corte não tenham conhecimento que o Supremo Tribunal Federal, cuja atuação dos seus membros não diferem muito da de alguns ministros de Contas, estabeleceu que a única responsabilidade do Governo Federal em relação à pandemia é injetar recursos para que os prefeitos e governadores administrem as ações práticas. Se há desvio de verbas e má utilização, a responsabilidade total é desses gestores. (MOMENTOPB com APALAVRAONLINE)