Página inicial

Notícia > Política

  • 10.09.2019 - 15:37

    PSB caminha para o esfacelamento na Paraíba e RC para o isolamento político

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    A fuga em massa de lideranças políticas do PSB para outras legendas começa a ganhar força e se transformar num movimento incontrolável capaz de esfacelar a legenda por completo no território paraibano, depois que a Executiva Nacional do partido decidiu, por mero capricho do ex-governador Ricardo Coutinho, nomeá-lo interventor, ‘tratorando’ a figura de maior expressão no estado e do partido, que é o governador João Azevedo.

    A insistência de RC em dissolver o diretório estadual, destituindo o secretário de estado Edivaldo Rosas da presidência e defendendo a formação de uma Comissão Provisória por ele comandada, mereceu o repúdio quase de forma generalizada no seio partidário.

    Para se ter uma ideia, os quatro membros que comporiam essa nova roupagem socialista renunciaram a missão em menos de 12 horas do anúncio feito. Foram eles: o governador João Azevedo, o secretário Edivaldo Rosas, a professora Valquíria Alencar e o senador Veneziano Vital. A Ricardo só restou comandar Márcia Lucena e Fábio Maia.

    E não fica por aí, evidentemente. Indignado, o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado Adriano Galdino, abriu o verbo contra Ricardo e já anunciou que pelo menos cinco legendas estão de portas e janelas escancaradas para receber todo o exército de João Azevedo.

    Apesar de simular que mantém a crista empinada apesar de todo tiroteio e repúdio à sua conduta, o ex-governador é suficientemente capaz de perceber, porém não de admitir, que caminha célere para o isolamento político, já que a última liderança que ainda expressava confiança à sua orientação política, ele acabou de apunhalar pelas costas. Exatamente o governador João Azevedo.

    (MOMENTOPB)