Página inicial

Notícia > Diversos

  • 06.02.2020 - 05:17

    Luiz Torres carimba sua história como o maior traidor de RC

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    Marcos Marinho

    Com entusiasmadíssima apresentação do jornalista Luiz Torres, que foi secretário de Estado da Comunicação Institucional do Governo Ricardo Coutinho, a quem jurava amor eterno e amizade indissolúvel, e nos estúdios da televisão (TV Arapuan) que mais verbas públicas recebeu no período em que ele mandava nos cofres da SECOM, os cantores Capilé e Fuba entoaram anteontem o que se pode chamar de “afronta” aos envolvidos na Operação Calvário – uma marchinha que usa a operação policial como pano de fundo para os paraibanos caírem na folia.

    Apelidada de Hino da Calvário, a letra da marchinha embora insossa e com pouco ritmo foi produzida ao molde de Ricardo Coutinho. “Eu vi teu nome da delação, eu vi teu nome escrito no jornal, saiu com a mala cheia de dinheiro, tu pode até ser preso e eu brincando o carnaval”, insiste o refrão.

    Nas redes sociais a repercussão até agora tem sido negativa, principalmente em relação a Luiz Torres, que ao deixar o Governo do Estado aboletou-se exatamente no Sistema Arapuan que irrigara de dinheiro, ganhando lá um cargo de diretor para dizer que é seu.

    – “O ‘hino da Calvário’ não cabe no manequim de Fuba/Luís Tôrres e assim pegou mal; Capilé já era contra, aí é compreensível”, disparou em seu portal na internet o multimídia Walter Santos.

    – “Esse Luiz Torres nunca me enganou.Capilé nunca cresceu no meio artístico porque optou em ser ‘capacho’ de Cunha Lima”, postou o internauta José Florentino Toscano.

    – “Uma música de botequim de quinta categoria…”, classificou Euzivan Lemos.

    – “Muita covardia dessa turma. A história restabelecerá a verdade”, disse o internauta José Gonçalves. (blogdopedromarinho)