Página inicial

Notícia > Policial

  • 21.11.2019 - 05:16

    Justiça indefere prisão temporária de empresário e repórter envolvidos em esquema de corrupção

    Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte

    A quarta fase da Operação Recidiva foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (20) em nove cidades da Paraíba e uma do Rio Grande do Norte com objetivo de cumprir cinco mandados de prisão e 15 de busca e apreensão, além de um mandado de afastamento de função pública.

    Entre os envolvidos estão duas pessoas conhecidas da sociedade paraibana. O empresário Maxwell Brian Soares de Lacerda, representante da Viga  Engenharia LTDA foi vencedora em um processo licitatório em Triunfo, mas tendo em vista o valor muito baixo, foi intimada a confirmar a exequibilidade da obra. A Viga então apresenta pedido de distrato e a segunda colocada é chamada, no caso a Roma Construção e Manutenção LTDA. Mas o valor apresentado por ambas foi idêntico, inclusive nos centavos.

    O outro nome envolvido é o repórter do Sistema Correio de Comunicação, Bruno Pereira. O jornalista, que também atua como assessor de impresa na cidade de Ibiara, haveria recebido recursos desviados de fundos federais.

    Tanto Bruno, quanto Maxwell tiveram prisão temporária solicitadas pelo MPF, mas o juiz federal Cláudio Girão Barreto, indeferiu os pedidos. 

    Polêmica Paraíba